domingo, 6 de março de 2011

Prece ao Tempo

PRECE AO TEMPO




Quero agarrar a sombra
Com toda a força que tiver
Sombra d`um passado/presente
E que não mente
Para além do que houver.
Tempo impiedoso
Que tenta asbatê-la
Sem se lembrar que o passado
Às vezes torna a vida bela
Não me faças correr contigo
Na louca correria para o infinito
Sem nada ter p`ra procurar
Sem nada ter para mudar
Conserva-me na estufa
Da natureza- morta
Até um dia poder desabrochar!



(Ana Maria de Portugal)

( aos 20 anos)




2 comentários:

  1. Este poema foi escrito depois da minha primeira grande desilusão de amor...

    ResponderExcluir
  2. Dão quase sempre nos primeiros poemas...

    ResponderExcluir